Fale conoscoFacebook

Luciana Azevedo

“Um terço da minha vida, vivi na Faculdade de Odontologia de Bauru, da USP. Tudo começou quando fui aprovada no vestibular da FUVEST e me mudei do interior do Paraná para Bauru. Se era o melhor caminho a seguir, não estava certa disso, mas estava decidida que era o que queria. Tudo me encantou! A grandiosidade da instituição, o peso do nome da universidade, o contato com professores mestres e doutores – uma verdadeira imersão no mundo do conhecimento! A convivência com colegas de todas as partes do Brasil era fascinante, da mesma forma que o jeito acolhedor e amigável dos bauruenses. Os quatro anos de graduação fizerem-me amadurecer e tornaram-me cirurgiã-dentista. No entanto, havia me rendido às inquietações e questionamentos da pesquisa científica. Durante 3 anos da graduação, participei do PET – Programa Especial de Treinamento, um programa da CAPES voltado a incentivar a pesquisa nos alunos de graduação. Esta experiência impulsionou-me para o caminho da pós-graduação. Iniciei o curso de Mestrado em Estomatologia. Todos os laboratórios, salas de aulas e seminários e o início das atividades de orientação de alunos de graduação eram rotina. Tudo isto foi acentuado no curso de doutorado, marcado por discussões intermináveis de projetos de pesquisa, contato com alunos de outras áreas e realizações de trabalhos multidisciplinares. Sem dúvida alguma, neste momento, eu me sentia uma parte do todo da FOB. Pois é, a FOB também me fez professor e pesquisador! Isto pesa e sempre traz consigo o compromisso com a busca incessante do conhecimento. Se era o melhor caminho, não sabia, mas hoje tenho certeza que não poderia ter escolhido outra instituição para me formar.

Conhecer a FOB, viver a FOB e fazer parte da FOB marcou a minha formação. Trouxe-me responsabilidade e desafios que, até hoje, fazem-me crescer como pessoa. Trouxe-me descobertas e proporcionou-me aprendizado que me tornaram profissional da saúde e da educação. Trouxe-me o senso crítico e o espírito questionador imprescindíveis a um jovem pesquisador. Enfim, na FOB encontrei a semente do conhecimento humano e científico, plantada diariamente pelas palavras de mestres, colegas e pessoas que trabalham na FOB e pela FOB. Hoje, sou professora dos cursos de graduação e pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná e sinto que os 10 anos que vivi na FOB são a essência do que sou como pessoa e como profissional.”

Professora dos cursos de graduação e pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná.